Jungle Blue Moodboard

Coleção Jungle Blue

Com esta rubrica planeamos dar a conhecer um pouco do mundo das nossas designers para que possam conhecer melhor o processo criativo que cada coleção envolve.

Cada coleção é única e é inspirada não só pelas tendências do momento, mas também por pormenores do nosso quotidiano.

A coleção Jungle blue foi inspirada num conjunto de peças arquitetónicas, como é o caso dos jardins de majarolle e da casa horta do guillermo Santomá, pelo uso da combinação das cores living coral + Klein blue, pela moda de Yves Saint Laurent e pelos retratos de Picasso.

Jungle blue collection

Living Coral + Klein Blue

Living coral foi considerada a cor do ano 2019. Esta cor representa a fusão da vida moderna, aparecendo de forma natural no mundo à nossa volta, mas também tendo uma presença ativa nas redes sociais. É uma cor vibrante que transmite conforto, impressionando o olho e a mente.

Azul Klein é uma cor criada por Yves Klein através da mistura de certos pigmentos. Segundo o artista, este azul representa essência, potência, vitalidade, dinâmica, puridade, imaterial, entre muitas outras características.

Ambas as cores têm sido bastante usadas pelo mundo fora, na moda, arquitetura, decoração e cerâmica.

Living Coral
Living Coral
Klein Blue
Klein Blue

Jardins de Majorelle e moda de Yves Saint Laurent

Os jardins de Majorelle, em Marraquexe, são um desses exemplos e, desde a sua criação que os jardins são uma fonte de inspiração para qualquer artista, sendo que foram criados com esse exato propósito pelo artista francês Jacques Majorelle em 1924. Majorelle encomendou uma casa de estilo Art Déco, com influência moura e berbere, e trouxe plantas de várias partes do mundo, cobrindo o território com as mais variadas plantas. Apenas em 1947 foram abertos ao público e, em 1980, após a morte de Majorelle, Yves Saint Laurent comprou a propriedade e transformou-a no oásis que agora se pode visitar.

Com uma casa de azul vivo brilhante e uma selva de plantas em seu redor, esta propriedade inspirou muitos artistas, até mesmo o próprio Yves Saint Laurent, como se pode ver em algumas das suas coleções de moda.

O vestido Mondrian de Saint Laurent foi também uma fonte de inspiração, pela sua composição geométrica e uso de cores fortes. Para esta coleção, Yves Saint Laurent inspirou-se no cubismo dos quadros de Piet Mondrian e quebrou os padrões da época. Criou uma coleção de vestidos retos, sem a cintura marcada, com cores marcantes e efeitos color block.

Jardins Majorelle
Jardins Majorelle
Vestido Mondrian, Yves Saint Laurent
Vestido Mondrian, Yves Saint Laurent

Casa Horta, de Guillermo Santomá

A partir de uma casa de 3 andares abandonada, nos arredores de Barcelona, Santomá criou uma obra de arte, reminiscente da “La Muralla Roja”, de Ricardo Bofill, refazendo-a por completo ao ignorar a praticidade do espaço em favor da cor, luz e do caos cultivado. O artista considera a cor como um material, como um objeto que se adiciona a um espaço.

A cozinha e a sala de jantar estão cobertas por um rosa “pepto-bismol” e com um teto em azul Klein a imitar o céu.

Casa Horta
Casa Horta Santomá

Retratos de Picasso

A inspiração nos retratos de Picasso deu à coleção JUNGLE BLUE o toque que lhe faltava.

De 1906 a 1909, Picasso combinou o seu estilo próprio com uma influência africana, o que ficou dominado como o período africano de Picasso. Durante este período, considerado também como o período protocubista, Picasso desenvolveu pinturas tais como Les Demoiselles d’Avignon e  Head of a Sleeping Woman

O artista inspirou-se nas máscaras africanas, retratando o rosto humano a partir da ideia da simplificação das formas, ou seja, retratando apenas os elementos necessários para a confeção de um rosto.

Les Demoiselles d'Avignon
Máscara africana e Picasso

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Scroll to Top